Dharma5 Blog

Sexo Sagrado: Antigas Práticas Tântricas Para Amantes Modernos

Está na hora de deixarmos de lado as ideias de que o sexo é algo sujo, proibido ou uma obrigação e de começarmos a vê-lo como é na realidade: um ato sagrado de verdadeira união e amor. Um caminho para a iluminação. 

O sexo é uma força vital, uma força que deve ser entendida e tratada. Ainda assim, muitas pessoas não lidam com isso de maneira eficaz. Fogem ou sentem-se presos ou frustrados com isso, ou continuam a procurar – e não encontram satisfação em nenhuma dessas escolhas.

O tantra pode ajudar. O que ele nos ensina é que, desde que não prejudiquemos ou magoemos ninguém pelo caminho, podemos encontrar bem-estar, alegria e paz interior, ao mergulharmos de cabeça nos nossos sentimentos e desejos mais profundos. 

Qualquer atividade, se for aprofundada o suficiente, levará à compreensão final, liberdade e paz. E isso inclui também a nossa vida sexual. 

Algumas perguntas para responderes

Pára e pensa agora nas tuas atitudes e comportamentos em relação ao sexo. Gostas de sexo? Pensas nisso? Existem algumas coisas que te parecem vergonhosas ou imorais? Achas que deves ter apenas uma pessoa, um parceiro? És monogâmico? Polígamo? Assexual? Estás satisfeito com a tua vida sexual neste momento? Achas que podia ser melhor?

Tens algum ponto de vista sobre o sexo, seja ele sagrado ou outro, que te possa estar a impedir de viver a vida (e o sexo) na forma que realmente queres viver?

Não importa como vais responder às perguntas. Mas é importante que o faças com honestidade. És um ser livre! Podes sentir absolutamente tudo o que quiseres sobre sexo, relacionamentos, casamento, qualquer coisa e tudo mais.

Mas se achas que suas opiniões e crenças te estão a limitar e impedir de seres livre, ou prejudicar-te de alguma forma, impedindo-te de alcançar o que mais desejas na vida, talvez seja melhor reavaliar e analisar as tuas crenças. Mergulha nelas, examina-as e descreva-as claramente para ti mesmo.

Sabe que, seja qual for a tua vida sexual atualmente, também te podes se sentir bem com isso. É possível que não tenhas pensado bem nisso até hoje, que não tenhas consciência plena da tua vida sexual e de todas as crenças à volta dela, mas podes fazê-lo agora mesmo e começar já a caminhar rumo à sexualidade sagrada. 

O primeiro passo deve ser o da honestidade. Sê totalmente honesto contigo. Como te sentiste em todos as tuas relações sexuais? Arrependes-te de alguma coisa? Sentes culpa por alguma coisa? Pára para pensar com calma nesta última questão.Reserve um tempo para examinar essa – a culpa é um sentimento muito popular na nossa cultura.

Confia em ti e na tua auto-expressão

Felizmente, o mundo mudou e a ideia de que temos direito a tomar as rédeas da nossa vida vida, em busca da liberdade e da felicidade tornou-se real. Somos livres para sermos nós mesmos e expressar a nossa sexualidade sagrada. 

Costumamos dizer que a nossa liberdade termina onde começa o do outro. O que isso quer dizer é que somos todos livres de agir de acordo com a nossa consciência em busca da nossa liberdade e felicidade, desde que isso não viole os direitos das outras pessoas. 

A melhor orientação é sempre encontrada dentro de ti, na tua vida e no ato do sexo sagrado. Confia e respeita os teus próprios impulsos e aquilo que sentes, sem julgamentos. Confia que a tua orientação interior te vai levar a descobrir a vida e o estilo de vida perfeitos para ti. Se seguires os teus sentimentos, dificilmente vais errar. 

Se fizeres algo extremo, entende que está tudo bem. É normal excedermo-nos de vez em quando. bem fazer algo extremo de vez em quando. Devemos fazer tudo com moderação, mas até a moderação tem alguns excessos. 

As pessoas excessivamente moderadas têm medo do que sentem ou podem vir a sentir e não se permitem a deixar-se ir. No fundo, têm medo de si mesmas, ficando presas a padrões e modelos rígidos que as impedem de viver em plenitude e alinhadas com os seus sentimentos, desejos e impulsos mais profundos.

Este tipo de moderação faz com que se mantenham acorrentados a uma vida que na realidade não desejam e que nunca os ajudará a tornarem-se verdadeiramente livres.

Cultivando e Equilibrando a Energia Sexual

No Universo, existe uma bonita e dinâmica fonte de energia à espera de ser aproveitada – a energia da criação que exploramos no ato do sexo sagrado.

Todos nós experimentamos essa energia. Quando dois parceiros se juntam – heterossexual ou homossexual, a energia da criação surge imediatamente. Muito tem sido escrito e ensinado sobre a transmutação da energia sexual. Para a maioria de nós, no entanto, isso é desnecessário e redundante, pois a energia sexual se transmuta.

Quando a nossa energia sexual se move através dos nossos corpos, experimentamos uma transmutação física, mental e emocional dessa energia. E isso acontece quando fazemos amor, quando meditamos e quando nos masturbamos. 

Como é que isso acontece? O nosso corpo é um sistema de energia e diferentes partes dos nossos corpos são diferentes centros de energia (Chacras). O nosso ponto sexual contém uma fonte muito poderosa de energia e quando nos concentramos nela fisicamente ou mentalmente, descobrimos que é uma força dinâmica.

Quando permitimos que essa energia se mova livremente, descobrimos que seu movimento natural é para cima, através de nosso abdômen, até aos nossos corações, e ainda mais para cima, para centros superiores de energia e atividade glandular na garganta, na testa e na coroa do coração. cabeça.

Esta energia pode assim chover literalmente sobre todo o nosso ser, rejuvenescer, purificar, curar, fortalecer, o que é um dos muitos benefícios de se envolver em sexo sagrado. Fazer amor abre os nossos corações e expande a nossa mente, elevando a nossa consciência e conectando-nos com o infinito de forma verdadeiramente poderosa.

Muitas pessoas, com o propósito de se desligarem do mundo terreno e das suas tentações trabalham para se aproximarem do mundo espiritual e acabam por se desligar das suas fontes de poder nos seus chamados centros inferiores de energia, o chamado plexo solar.

Muitas também, quando percorrem esses caminhos espirituais acreditam que um orgasmo é uma “pequena morte”, algo que dissipa a energia vital e que os impede se viver uma vida plena e iluminada.

Alguns professores da Índia ensinam que o orgasmo sexual enfraquece o sistema e que a energia precisa ser mantida e levada aos centros superiores para despertar a verdadeira liberdade e a iluminação. O resultado é a repressão, a autonegação e a culpa.

A verdade é que o celibato não funciona para a maioria de nós, pelo menos no Ocidente. Focarmo-nos apenas na nossa espiritualidade esquecendo o nosso corpo e negando os nossos sentimentos, desejos e impulsos mais profundos, leva a  negação de nossos sentimentos, desejos e impulsos.

Isso leva a uma rejeição de nós mesmos e da nossa cultura e, até mesmo, de uma maneira muito básica, uma rejeição da própria força vital e essa é a coisa mais distante do sexo sagrado que pode existir.

O tantra abrange todos os caminhos – até o caminho daqueles que negam ou retêm sua energia sexual. O caminho do tantra ensina a aceitar todos os diferentes caminhos que existem e todas as pessoas, mesmo as que nos criticam ou condenam.

Cada pessoa deve encontrar o seu próprio caminho, no seu próprio coração.

Para muitos de nós, a energia sexual é algo a ser celebrado, apreciado e usado como um grande e maravilhoso veículo, através do ato do sexo sagrado, para nos impulsionar em direção ao nosso caminho para a liberação e a luz. Este é o caminho do tantra.

Os nossos corpos são criações milagrosas e devem ser respeitados, admirados e apreciados. Uma verdade profunda que emerge do estudo espiritual é que somos todos seres semelhantes a Deus. Criamos os nossos corpos fenomenais através do nosso próprio código genético e crescemos, evoluímos.

Se acreditarmos que Deus é omnipresente, significa que Deus está em todas as células do nosso corpo. Então, quando uma pessoa admira outra, é Deus a sua admirar a própria criação. E aquele que está a ser admirado é também Deus a desfrutar da própria criação.

O sexo é mais que um impulso natural. É um ato profundamente sagrado. Quando dois corpos são unidos, um templo muito especial é criado através da força de dois espíritos, dois campos de energia, que se misturam formando um só.

Uma poderosa, fortalecedora, curativa e refrescante energia flui entre os dois corpos. É uma abertura profunda, um desapego, uma meditação perfeita e sem palavras sobre as forças criativas da vida. Isto sim, é sexo sagrado.

Alguns Princípios do Sexo Tântrico

Antigas práticas sexuais tântricas estão descritas em muitos livros. Dois incríveis templos tântricos ainda estão na Índia, adornados com milhares de estátuas em diferentes posições e práticas sexuais sagradas.

Muitas das antigas práticas tântricas envolvem preparações elaboradas que celebram todos os sentidos, incluindo diferentes alimentos e vinhos para o paladar, flores para a visão, incenso para o olfato, sinos e outros instrumentos musicais para a audição, e nossos corpos para o toque.

O elemento mais importante nas práticas sexuais sagradas é a aceitação e o prazer de todas as coisas que nos dão prazer e uma apreciação da beleza.

Alguns professores definem sexo tântrico como sexo, no qual você não atinge um orgasmo, mas medita profundamente juntos por um longo período. Esta é uma bela maneira de fazer amor – mas certamente não é a única maneira de fazer amor.

Na minha opinião, o sexo tântrico inclui todo tipo de sexo, não rejeitando nada. Venha se quiser ou não, o que seu coração desejar.

Não há nada a rejeitar na nossa energia sexual e nos nossos relacionamentos sexuais. Existe beleza em cada momento das nossas vidas.

Não há nada a rejeitar na sexualidade sagrada ou na vida em geral. Há beleza em cada momento eterno aqui e agora.

Cria as tuas próprias práticas tântricas. Essas práticas serão as melhores práticas para ti. Lembra-te que és livre para fazer o que quiseres e és livre para viver as tuas fantasias mais mais profundas.

Prática Tântrica: Uma Maneira Bonita de Fazer Amor

Aqui está uma prática sexual sagrada específica. Usa-o como modelo e adapta-o à tua maneira. 

– Deita-te com o teu companheiro ou senta-te junto a ele. Delicia-te com a bela simplicidade de apenas estarem juntos, silenciosamente.

– Olhem-se, apreciem-se e acariciem-se…

– Em algum momento, ambos dizem ao outro (um de cada vez), concentrando-se no seu corpo: “Este é o templo”. 

– Em algum momento, um de vocês concentra-se no sagrado centro sexual de energia do do companheiro e diz: “Esta é a chave do templo”. Em algum momento, o outro concentra-se no sagrado centro do companheiro e diz: “Esta é a entrada para o templo.

– Então a chave é lenta e gentilmente colocada na entrada e cada um diz, à sua maneira, no seu próprio tempo, em suas próprias palavras: “Estamos no templo, a receber as bênçãos do Universo”.

– As palavras aqui são opcionais, porque podes querer continuar sem palavras.

– Agora sente, tão completa e sensivelmente quanto fores capaz, a energia criativa do Universo fluindo através dos dois, abençoando-os, dando-lhes eterna juventude e vitalidade eterna.

– Sente como é bom estar vivo. Tu és a própria vida

Sente a tua unidade com toda a existência.

Sente a tua divindade natural…

A energia dentro flui da tua área sexual para os mais altos níveis de consciência.

Tu és um com todos…

Tu és luz, tu és vida.

É hora de vermos o sexo como o ato verdadeiramente sagrado que é: ele tem a capacidade de nos unir com com as forças da criação, mostrando-nos a maravilha do que é. É um verdadeiro caminho para a iluminação.

Prática Tantrica: Sustentando a Energia Sexual

Alguns homens – especialmente homens jovens – podem achar difícil sustentar a sua energia sexual por tempo suficiente para proporcionar aos seus parceiros uma experiência verdadeiramente profunda e satisfatória. A estimulação é tão intensa para os homens que eles podem achar difícil de controlar.

Algumas técnicas simples podem ajudar a dar ao homem tanto controle ao fazer amor como ele deseja, permitindo-lhe alcançar um clímax da mesma forma que o seu parceiro.

A primeira técnica é mental. As outras são físicas:

1.Concentra-te e deixa que a energia circule através do teu corpo quando fazes amor. A estimulação intensa é centrada puramente no teu centro sexual, por isso move a energia até à tua espinha e deixa que circule em torno do teu corpo e do corpo do teu companheiro. Isso permite que faça amor e experimentes o sexo sagrado por muito mais tempo.

2.Quando estiveres profundamente unido com o teu companheiro, se ele se mover mais num padrão circular do que num padrão straight-in-and-out, o ato sexual durará muito mais tempo. Isso é, geralmente, mais excitante para a mulher e um pouco menos excitante para o homem, dando à mulher mais tempo para alcançar o nível de excitação do homem e para ajudar a prolongar o ato do sexo sagrado.

A técnica final é parte da “meditação caótica”, ensinada por Bhagwan Rajneesh (Osho), um conhecido professor e autor prolífico da Índia. Se fizeres este exercício, vais provavelmente descobrir que isso te fortalece sexualmente, dando-te o controle de prolongar e desfrutar do sexo sagrado o tempo que quiseres.

Faz quando estiveres sozinho. Pode parecer estranho, mas tenta. No entanto, não recomendo a ninguém com problemas cardíaco, porque é muito extenuante.

1.Coloca as tuas mãos sobre a cabeça e salta vigorosamente por dez minutos, enquanto gritas “Hu!” com força sempre que bates com os pés no chão. Respira profundamente com o diafragma.

2.Depois de dois minutos, vais, provavelmente, sentir-te exausto. Mas vai além dos teus limites físicos imaginários e vais descobrir que pode saltar por dez minutos facilmente. Não te esforces, mas salta energicamente.

3.Relaxa.

Com este exercício, vais ficar com os músculos da região abdominal muito mais fortes e com uma fonte de energia interior muito mais potente do que alguma vez imaginaste que seria possível.