Dharma5 Blog

Como Podes Criar Abertura na Tua Relação Para Falares Dos Teus Maiores Desejos Sexuais

Passei meses a fio sem sentir coragem para contar ao meu namorado aquele fetiche que quero experimentar há tantos anos.

Houve um dia em que enchi o peito de ar, olhei-o nos olhos e disse-lhe o que queria que fizéssemos juntos. Tudo mudou nesse momento. Tudo mudou para melhor, já que ele tinha os mesmos desejos que eu, mas nunca os tinha partilhado com medo da minha reação. Curioso, não é?

Um coisa aprendemos aqui desde logo: precisamos falar tudo, sem medo!

Há algo fundamental a ser quebrado para que exista conexão, cumplicidade e verdadeira intimidade num relacionamento amoroso: os tabus. É importante que ambos sejam honestos e verdadeiros sobre os seus sentimentos e também sobre a sexualidade e os seus desejos mais íntimos. Só assim é possível viverem alinhados numa relação plena e  consciente.

Se desejas que o teu companheiro faça algo diferente na cama, como experimentar uma nova posição ou aquele fetiche que desejas há muito fazer (como eu), sê honesto/a, conta-lhe o que gostavas que fizessem juntos.

A comunicação desses desejos pode parecer desconfortável ou estranha inicialmente mas é muito importante que te lembres que tu és o responsável pelo teu próprio prazer e ao fazê-lo não só te vais permitir experienciar coisas extraordinárias, como vais unir-te com mais intensidade ao teu companheiro.

Deixo-te algumas estratégias poderosas que podes usar (e que eu também usei) para ousares pedir exatamente tudo aquilo que mais desejas durante o sexo:

1. Aceita o Desconforto

Pode parecer óbvio demais o que eu vou dizer mas, se queres que algo mude, tens de perguntar primeiro. Conheço dezenas de casais que viveram anos a fio em relações amorosas onde o sexo não tinha nem uma pitada de sal só porque nenhum deles ousou atravessar o desconforto de abordar o assunto e dizer o que realmente desejava.

Gostavas que o teu companheiro te perguntasse se havia alguma forma de te surpreender? Se acabaste de dizer que sim, podes apostar que ele ou ela pensam exatamente da mesma maneira que tu. Essa inércia em que vocês vivem não está a ser benéfica para nenhum dos dois. Portanto, fica à vontade para ficar um pouco desconfortável.

Alguns momentos de estranheza podem transportar-te para uma vida inteira de verdadeiro e intenso prazer.

2. Prepara bem o momento

Se estás a sugerir uma mudança de ritmo ou de posição, perguntar durante o ato é bom. Mas se estás a propor algo completamente novo ao teu companheiro, provavelmente não é a melhor hora para perguntar.

Em vez disso, começa uma conversa carinhosa num momento em que estás a sentir-te confiante, confortável e conectado. Podes, por exemplo, propor algo novo durante o jantar a dois ou quando estiverem a sair para passear.

Desta forma, vai oferecer ao teu companheiro o espaço e o ambiente ideal para que ele (ou ela) possa processar a informação calmamente e responder à tua solicitação sem se sentir pressionado.

3. Sê positivo e proativo

Como dissemos mais acima, é bom que tenhas isto bem presente na tua mente: o teu prazer é da tua responsabilidade. Portanto, é importante que sejas proativo.

É muito mais construtivo dizeres ao teu companheiro: “Podes, por favor, ficar por cima agora, amor?”, do que te sentires bloqueado, dares-lhe o “tratamento silencioso” e, entretanto, explodires com um: “És tão preguiçoso que nem te preocupas mais em estar por cima!”

O teu companheiro não é vidente, nem lê mentes. Então, se gostavas que ele fosse mais rápido ou mais lento, mais duro ou mais suave, tens de falar.

4. Sê específico e objetivo, não exigente

Uma coisa é pedires que ele ou ela se mexa um pouco para a esquerda ou mais para a direita. Outra coisa é exigir que se mexem 27,5 graus a sudoeste mantendo o ritmo médio exatamente que tu queres.

Afinal, grande parte da magia do sexo é encontrada nos momentos inesperados e naturais, por isso, não deixes que os teus desejos tomem conta de ti e se tornem regras rígidas pois isso só vai fazer com que vocês se afastem e se desconectem.

5. Aprende a Perdoar

Sexo perfeito não existe. Transpiramos, os lençóis ficam emaranhados, os corpos fazem barulhos estranhos… enfim, uma quantidade de coisas que nem sempre queremos que aconteçam. Mas a magia está mesmo aí, em deixar que aconteça tudo naturalmente e sem constrangimentos.

Por isso, se o teu companheiro não faz exatamente aquilo que tu gostas, mesmo que tenha perguntado repetidamente, a “sessão intermédia” não é o momento para encerrar a sessão por completo e ficar com raiva e frustrada/o. Tem calma e deixa fluir.

Perdoa pelos esquecimentos e pelas coisas que consideras serem falhas, rende-te ao momento e compromete-te a ter uma conversa mais tarde num momento onde exista menos pressão.

6. Respeita

Há sempre a possibilidade de os teus desejos não coincidirem com os do teu companheiro. Pode até deixá-lo desconfortável. Nesses casos, respeitar os limites do teu companheiro é imperativo. O sexo com alma alucinante não pode acontecer se uma das partes se sente coagida, insegura, desconfortável ou desrespeitada.

Só porque foste corajoso/a o suficiente para abordar os teus desejos, não significa que o te companheiro deva obedecer. Um relacionamento não é uma ditadura. Se a tua sugestão não foi recebida com entusiasmo, considera explorar opções alternativas que permitam que tenhas prazer ao mesmo tempo que te sentes em verdadeira conexão com o teu companheiro.

7. Sê generoso

Se fazes um pedido ao teu companheiro e ele retribui com todo o coração, pergunta-lhe o que podes fazer para melhorarem a vossa experiência. Lembra-te, não existe “eu” no sexo. 

8. E por último… Fica atento aos sinais!

Se partilhaste calmamente os teus maiores desejos e o teu companheiro não parece ter qualquer interesse neles, este pode ser um alerta vermelho.

Acredito firmemente na ideia de que a forma como fazemos uma coisa na vida é um reflexo de como fazemos tudo, e o egoísmo pode sinalizar que alguém não está verdadeiramente entregue à relação.

Só tu podes julgar isso. O meu conselho é que fiques muito atento/a aos sinais e que ouças a tua intuição.